Menu Content/Inhalt
Início seta Trabalhos seta A Igreja Primitiva
A Igreja Primitiva PDF Imprimir E-mail
Escrito por Valdenir Alves Ferreira   
24-Jan-2010

www.sadoutrina.org - Biblioteca Digital - Trabalhos

Image  Valdenir

Introdução
A língua portuguesa se mostra muito rica em seus detalhes, portanto esclareço o que o termo “A igreja primitiva” empregado aqui se refere “A Primeira Igreja”, a mais autentica, a primordial e sublime Igreja fundada por Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Inseri esta nota inicial, pois às vezes o termo “primitivo” também se refere a algo atrasado e não é este o caso referido aqui. 

Procurarei demonstrar com palavras simples algumas características da Igreja Primitiva de forma que voce leitor possa viajar no tempo de Cristo e dos apóstolos. Para preparar este trabalho, eu gastei 12 horas de pesquisas e estudos. Iniciei em 12/12/2009 e conclui em 03/01/2010. Reserve estes próximos minutos para uma viagem que eu já fiz e lhe garanto que é inesquecível. Minhas opiniões estão em azul; as passagens bíblicas estão em preto e quando muito relevantes em vermelho.

O povo de Deus, ao longo do Velho Testamento como bem se sabe era o povo de Israel; mas como era carnal, não era possível estabelecer aquela relação profunda e entranhável com o Senhor Deus. Assim o conceito de Igreja só foi estabelecido com a primeira vinda de Cristo ao mundo. 

É amplamente reconhecido pelos estudiosos que os historiadores romanos erraram em  6 anos ao estabelecerem o início do calendário cristão. O erro foi detectado tardiamente, tornando inviável sua correção. Assim, Cristo nasceu em 6 AC, dois anos antes da morte  de Herodes, O Grande, ocorrida em 4 AC e  foi crucificado do ano 27 DC aos 33 anos e meio de idade. 

A Fundação da Igreja
Esta obra foi apenas iniciada por Cristo; ele plantou as bases, os fundamentos principais. A conclusão se deu através de seus apóstolos e discípulos e da descida do Espírito Santo. Para estabelecermos uma análise dos passos percorridos, é preciso estudar com atenção a seqüência de fatos que se deram.  

Os 4 Evangelhos que relatam a vida de Cristo (Mateus, Marcos, Lucas e João); ele era uma pessoa simples que não possuía riqueza e nem beleza; sua aparência não despertava o interesse das pessoas; suas roupas eram vestidos compridos que o envolviam do pescoço aos pés e não davam qualquer apelo de sensualidade. Sobre a doutrina espiritual que ele pregou não existe uma forma de culto plenamente definido nos Evangelhos. Ele apenas deu alguns sinais como vemos no Evangelho de João 4:35 ao 38.
35 - Não dizeis vós que ainda há quatro meses até que venha a ceifa? Eis que eu vos digo: Levantai os vossos olhos, e vede as terras, que já estão brancas para a ceifa.
36 - E o que ceifa recebe galardão, e ajunta fruto para a vida eterna; para que, assim o que semeia como o que ceifa, ambos se regozijem.
37 - Porque nisto é verdadeiro o ditado, que um é o que semeia, e outro o que ceifa. 38 - Eu vos enviei a ceifar onde vós não trabalhastes; outros trabalharam, e vós entrastes no seu trabalho. Notem que o culto foi definido depois através da pregação feita pelos apóstolos e pela intervenção do Espírito Santo como veremos em 14 de I Aos Coríntios. 

A Igreja Primitiva congregava nas casas, pois os templos eram de propriedade dos judeus. Cristo foi ao templo pregar, mas não foi aceito; os apóstolos também foram presos e açoitados pelos guardiões do templo. Devido à recusa dos judeus em aceitar a nova doutrina, restou a Igreja Primitiva a opção de sobreviver nas casas dos fiéis. Vemos em Atos 12:5 e 12 que a Igreja estava reunida na casa de Maria, mãe de João Marcos fazendo orações e intercessões em favor de Pedro que estava preso e por sinal houve uma grande libertação através do anjo do Senhor, sendo Pedro retirado da prisão. 

Cristo cumpriu um ministério de pregação do evangelho, curas e maravilhas mostrando uma doutrina diferente, baseada na verdade, no estabelecimento dos conceitos morais e éticos como a manutenção dos 10 mandamentos; vemos em Lucas 23:56 que as mulheres que seguiam a Jesus e acompanharam a sua crucificação foram ao sepulcro, viram o seu sepultamento e no sábado repousaram conforme o mandamento; logo, Cristo manteve os mandamentos inclusive o quarto, que se refere ao sábado; ele citara os mandamentos ao mancebo rico em Mateus 19:17 ao 19. 

A Estratégia de Cristo
Para ajudá-lo, Cristo escolheu os 12 Apóstolos e determinou a primeira missão em Mateus 10:2 ao 8. Ora, os nomes dos doze apóstolos são estes: O primeiro, Simão, chamado Pedro, e André, seu irmão; Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão; Filipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus, o publicano; Tiago, filho de Alfeu, e Lebeu, apelidado Tadeu; Simão o Zelote, e Judas Iscariotes, aquele que o traiu. Jesus enviou estes doze, e lhes ordenou, dizendo: Não ireis pelo caminho dos gentios, nem entrareis em cidade de samaritanos; Mas ide antes às ovelhas perdidas da casa de Israel; E, indo, pregai, dizendo: É chegado o reino dos céus. Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça dai. 

Vemos aqui que o reino de Deus estava restrito a Israel.
 O poder de realizar obras em nome de Cristo foi e é uma virtude indispensável para o estabelecimento da igreja. Da mesma forma que Cristo curou enfermos, ressuscitou mortos, expeliu demônios os apóstolos também receberam estas virtudes e Igreja também pode realizá-las em nome de Cristo. JO 14:11 ao 13 -  Crede-me que estou no Pai, e o Pai em mim; crede-me, ao menos, por causa das mesmas obras. Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas, porque eu vou para meu Pai. E tudo quanto pedirdes em meu nome eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. 

Esta missão é muito importante e mostra claramente o projeto de fundação da Igreja Primitiva. Inicialmente a formação da Igreja estava focada somente no povo de Israel, entretanto devido a recusa dos judeus, em Mateus 28:19, Cristo abriu  a porta da Igreja a todas as nações. 

A Promessa do Espírito Santo
A Sabedoria de Deus estava com Cristo e ao aproximar sua partida deste mundo, para que seus seguidores não ficassem sós Ele prometeu o Consolador para que continuasse a operar maravilhas e a revelação de seus ensinos na Igreja. João 16:12 ao 14 - Ainda tenho muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora. Mas, quando vier aquele, o Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir. Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar. 

Além do Espírito de Deus, existe o espírito de vida de cada pessoa. Cristo definiu claramente que toda pessoa tem um espírito de vida quando ressuscitou a filha de Jairo em Lucas 8:54 e 55 -  Mas ele, pondo-os todos fora, e pegando-lhe na mão, clamou, dizendo: Levanta-te, menina. E o seu espírito voltou, e ela logo se levantou; e Jesus mandou que lhe dessem de comer. Este espírito, ou esta vida nunca se acaba, ou seja, ainda que o corpo material morra, a vida continua em outro corpo espiritual.  

O próprio Cristo definiu que existe o juízo em Mateus 25:31 ao 46  quando os fiéis são salvos e os infiéis são condenados e está escrito em Hebreus 9:27 – A todo homem está ordenado morrer uma vez vindo depois disto o juízo. 

A Apascentação Depois de Cristo
Cumprido o seu trabalho neste mundo, Cristo escolheu o apóstolo Pedro para ser o Apascentador da Igreja Primitiva, determinando que deveria cuidar de suas ovelhas. Evangelho de João 21:15 ao 18. 

A Heresia
Ao fim de sua vida aqui na terra, Cristo foi traído por um de seus discípulos; Judas Iscariotes o vendeu por 30 moedas de pratas causando um escândalo muito grande, entretanto ao analisar este fato vemos que Judas sendo um dos doze, estava no seio da Igreja; antes de se revelar excessivamente maligno satanás também estava no próprio céu, portanto se alguém sair da Igreja e começar a atacá-la, estará apenas dando seqüência no método usado por satanás.

Este fato se chama heresia e Paulo ensina-nos como devemos proceder em Tito 3:10 e 11 -  Ao homem herege, depois de uma e outra admoestação, evita-o. Sabendo que esse tal está pervertido, e peca, estando já em si mesmo condenado. Esta situação também está bem definida em I João 2:19 - Saíram de nós, mas não eram de nós; porque, se fossem de nós, ficariam conosco; mas isto é para que se manifestasse que não são todos de nós. É claro que se alguém se voltar contra a Igreja é um fato a ser lamentado, mas se ocorrer deve ser solenemente ignorado. 

A Igreja Depois de Cristo
A partir de agora estudaremos os fatos posteriores a ressurreição de Cristo. Pode-se concluir que a Igreja Primitiva estava sediada em Jerusalém, mas veremos que com a perseguição sofrida ocorrerá uma ramificação e um crescimento muito forte da Igreja por várias partes da terra.  

Em Atos dos Apóstolos surgem os primeiros acontecimentos significativos para que isto ocorra. No capítulo 1, temos escolha de Matias em lugar de Judas. Pedro determinou que o escolhido deveria ser alguém que tivesse acompanhado a Igreja desde a época de Cristo. A escolha ocorreu através do lançamento de sortes entre José Barsabás e Matias sendo que os dois eram competentes para a função. A sorte caiu sobre Matias e então, através do voto comum e concorde, ou seja, unânime, ele foi contado com os doze.  

O Derramamento do Espírito
No capítulo 2, temos a descida do espírito Santo e a conversão de quase 3 mil pessoas. É um fato espetacular que ocorreu pela pregação do apóstolo Pedro, que por sinal era um homem analfabeto, ou seja, o Espírito Santo cooperou grandemente com a Igreja possibilitando uma conversão em massa. Houve o batismo de quase 3 mil almas, sendo que não há distinção entre raças, nem mesmo entre adultos e crianças. 

Naturalmente a Igreja Primitiva de Jerusalém era comunista; ninguém se assuste com esta palavra, pois não se trata do comunismo que já ouvimos falar em nossos tempos atuais. Era algo espontâneo e muito sublime onde as pessoas por sua livre vontade e iniciativa vendiam seus bens e depositavam na administração dos apóstolos. A morte de Ananias e safira, não se deu porque eles retiveram parte do preço da herdade para si  e sim porque eles mentiram. É tanto que Pedro disse em Atos 5:4 - Guardando-a não ficava para ti? E, vendida, não estava em teu poder? Por que formaste este desígnio em teu coração? Não mentiste aos homens, mas a Deus. Esta característica comunista da Igreja de Jerusalém não está identificada nas outras Igrejas que vieram a existir com a expansão ocorrida no período apostólico. 

Com relação as contribuições financeiras de um modo geral, os irmãos da Igreja Primitiva eram ofertistas, ou seja, doavam conforme a necessidade e conforme suas condições e posses; eles não eram dizimistas (dízimo) mesmo por que o dízimo instituído no Velho Testamento não foi reafirmado como obrigatório nem por Jesus Cristo e nem pelos Apóstolos. No Novo Testamento, o dízimo é opcional.

O Primeiro Martírio
Em Atos 6 e 7 destaca-se o martírio de Estevão; ele fez um belíssimo discurso, e para quem não conhece muito da história do povo de Israel, basta ler e terá uma boa noção. A crença de Estevão é algo muito forte como vemos em Atos 7:55 ao 60.
55 - Mas ele, estando cheio do Espírito Santo, fixando os olhos no céu, viu a glória de Deus, e Jesus, que estava à direita de Deus;
56 -  E disse: Eis que vejo os céus abertos, e o Filho do homem, que está em pé à mão direita de Deus.
57 - Mas eles gritaram com grande voz, taparam os seus ouvidos, e arremeteram unânimes contra ele.
58 - E, expulsando-o da cidade, o apedrejavam. E as testemunhas depuseram as suas capas aos pés de um jovem chamado Saulo.
59 - E apedrejaram a Estêvão que em invocação dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito.
60 - E, pondo-se de joelhos, clamou com grande voz: Senhor, não lhes imputes este pecado. E, tendo dito isto, adormeceu.

Notemos que Estevão acreditava na salvação imediata. Na Igreja Primitiva nunca existiu a crença de que os fiéis dormiriam aguardando a vinda de Cristo materialmente. Eles acreditavam na vinda espiritual. 

O Apóstolo Paulo
Em Atos 9 temos a conversão de Paulo no caminho de Damasco. Este fato é extremamente importante para a expansão da Igreja Primitiva, pois até agora a mesma era quase restrita a Jerusalém. Como Paulo também não foi bem aceito pelos judeus, voltou-se com grande aplicação aos gentios de longe e fez 3 viagens missionárias e outras viagens menores que resultaram no estabelecimento de várias outras sedes da Igreja Primitiva como destaco a seguir: Corinto, Galácia, Éfeso, Filipos, Colossos, e Tessalônica. Estas são sedes maiores que surgiram com a pregação de Paulo, entretanto em várias outras cidades menores o evangelho também foi pregado.

A Igreja Primitiva em Roma não foi fundada por Paulo como vemos em Romanos 1:10. Seus principais cooperadores foram João Marcos, Barnabé, Tito, Silas e Timóteo. Assim a Igreja cresceu muito para honra e glória de Cristo. Aos novos convertidos na doutrina espiritual, era ordenado que fossem batizados em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo (Mateus, 28:19) e a exigência de que abonassem as obras da carne e produzissem os frutos do Espírito. Era requerida a guarda dos 10 Mandamentos como veremos em Atos 15, na decisão da Assembléia Geral de Jerusalém. 

A Abertura aos Gentios
Em Atos 10 temos a conversão e o batismo do centurião Cornélio, o primeiro gentio a ser convertido pela pregação do apóstolo Pedro, marcando assim a abertura do reino de Nosso Senhor Jesus Cristo aos gentios e conseqüentemente a todas as nações. O fato foi notório e foi necessário que Pedro se explicasse a Igreja como vemos em Atos 11.  

Com a conversão dos gentios, passou a existir um pequeno conflito, pois os judeus convertidos entendiam que os gentios deveriam se submeter a todos os ritos do judaísmo. Para resolver esta questão foi marcada Primeira Assembléia Geral em Jerusalém. Nesta ocasião, Pedro falou sobre a abertura do evangelho aos gentios e como Deus não fizera restrição ao derramar-lhes o Espírito Santo. Barnabé e Paulo contaram os grandes prodígios que o senhor Jesus realizou por meio deles entre os gentios e Tiago emitiu o parecer final que foi ratificado e aceito por todos por unanimidade. Assim ficou decidido em Atos 15:22 ao 33.
22 - Então pareceu bem aos apóstolos e aos anciãos, com toda a igreja, eleger homens dentre eles e enviá-los com Paulo e Barnabé a Antioquia, a saber: Judas, chamado Barsabás, e Silas, homens distintos entre os irmãos.
23 - E por intermédio deles escreveram o seguinte: Os apóstolos, e os anciãos e os irmãos, aos irmãos dentre os gentios que estão em Antioquia, e Síria e Cilícia, saúde.
24 - Porquanto ouvimos que alguns que saíram dentre nós vos perturbaram com palavras, e transtornaram as vossas almas, dizendo que deveis circuncidar-vos e guardar a lei, não lhes tendo nós dado mandamento,
25 - Pareceu-nos bem, reunidos concordemente, eleger alguns homens e enviá-los com os nossos amados Barnabé e Paulo,
26 - Homens que já expuseram as suas vidas pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo.
27 - Enviamos, portanto, Judas e Silas, os quais por palavra vos anunciarão também as mesmas coisas.
28 - Na verdade pareceu bem ao Espírito Santo e a nós, não vos impor mais encargo algum, senão estas coisas necessárias:
29 - Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e da prostituição, das quais coisas bem fazeis se vos guardardes. Bem vos vá.
30 - Tendo eles então se despedido, partiram para Antioquia e, ajuntando a multidão, entregaram a carta.
31 - E, quando a leram, alegraram-se pela exortação.
32 - Depois Judas e Silas, que também eram profetas, exortaram e confirmaram os irmãos com muitas palavras.
33 - E, detendo-se ali algum tempo, os irmãos os deixaram voltar em paz para os apóstolos; 

É preciso coerência e atenção para interpretar a decisão da Assembléia de Jerusalém. O que os judeus queriam impor aos gentios convertidos era a circuncisão e o conjunto das leis cerimoniais existentes no judaísmo. Notemos que a decisão sequer citou a Lei Moral dos 10 Mandamentos, ou seja, elas sempre estiveram vigentes também entre os gentios convertidos, ou alguém de nós pensa que os gentios convertidos podiam furtar e adulterar livremente sem que isto causasse restrição a sua própria salvação? 

A Expansão
Notemos que a Igreja Primitiva crescia, mas seu comando central estava em Jerusalém e era exercido pelos Apóstolos, mas a expansão da Igreja já era um fato notório impulsionada pelas viagens missionárias de Paulo que se firmara como novo apóstolo e grande pregador do evangelho; por sua pregação surgiram muitas células da Igreja em várias cidades. Estas viagens eram feitas a pé ou talvez no lombo de animais percorrendo grandes distâncias. Muitas vezes também contaram com o artifício da navegação que naquela época já eram bem desenvolvidas. Notemos que várias vezes, Paulo voltando de suas viagens ia a Jerusalém visitar a Igreja matriz e notificar os resultados de suas viagens.   

Por questão de necessidade lógica, cada nova unidade da Igreja Primitiva passou ter o seu corpo administrativo, ou seja, um Ministério religioso local para ordenar os cultos e as regras de conduta. Veja agora as características exigidas destes novos ministros em Tito 1:5 ao 9.
5 - Por esta causa te deixei em Creta, para que pusesses em boa ordem as coisas que ainda restam, e de cidade em cidade estabelecesses presbíteros, como já te mandei:
6 - Aquele que for irrepreensível, marido de uma mulher, que tenha filhos fiéis, que não possam ser acusados de dissolução nem são desobedientes.
7 - Porque convém que o bispo seja irrepreensível, como despenseiro da casa de Deus, não soberbo, nem iracundo, nem dado ao vinho, nem espancador, nem cobiçoso de torpe ganância;
8 - Mas dado à hospitalidade, amigo do bem, moderado, justo, santo, temperante;
9 - Retendo firme a fiel palavra, que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para admoestar com a sã doutrina, como para convencer os contradizentes. 
Em Tiago 5:14 e 15 consta que estes Presbíteros receberam poder para orar sobre os enfermos ungindo-os com azeite; esta oração teria poder de curar as enfermidades e o Senhor levantaria os doentes perdoando também os pecados. Esta autoridade já havia sido experimentada pelos Apóstolos em Marcos
6:13; eles também expulsavam os demonios e ungiam os enfermos com óleo e os curavam.


Normas de Doutrina
A partir de agora, adentraremos um pouco no ensino das Epístolas de Paulo para vermos e entendermos um pouco sobre a as regras de condutas, disciplinas e outros aspectos de sua pregação. A Epístola de referencia usada aqui foi a de I Aos Coríntios. Corinto era a Igreja que mais tinha problemas, logo ela recebeu a maior quantidade de informações dentre todas as outras Igrejas.

Em I aos Coríntios 3, vemos que o fogo que é o próprio Senhor Deus purifica os que não obedecem à palavra. É admitido que os que não conhecem a verdadeira justiça se salvem pelo detrimento do fogo. 
13 - A obra de cada um se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um.
14 - Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão.
15 - Se a obra de alguém se queimar sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo. 

Os Dons Espirituais
Em I Aos Coríntios 12, é possível ver quais eram os Dons Espirituais exercidos pela Igreja Primitiva:  
4 - Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo.
7 - Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um, para o que for útil.
8 - Porque a um pelo Espírito é dada a palavra da sabedoria; e a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência;
9 - E a outro, pelo mesmo Espírito, a fé; e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar;
10 - E a outro a operação de maravilhas; e a outro a profecia; e a outro o dom de discernir os espíritos; e a outro a variedade de línguas; e a outro a interpretação das línguas.
11 - Mas um só e o mesmo Espírito opera todas estas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer.
27 - Ora, vós sois o corpo de Cristo, e seus membros em particular.
28 - E a uns pôs Deus na igreja, primeiramente apóstolos, em segundo lugar profetas, em terceiro doutores, depois milagres, depois dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas.

O verso 28 se refere as características dos irmãos e as várias funções a serem exercidas para que haja o crescimento da Igreja. “Socorros” está diretamente ligado a Assistência Social e Espiritual e “governos” está ligado a forma de administração. É preciso constituir obreiros para atuar nas diversas áreas existentes. 

A Caridade
Aqui está relatada a maior demonstração de Amor. Ela abrange o contexto material e também o espiritual. Paulo a colocou como algo que está acima da esperança e da própria fé. A parte que vemos é material e a que profetizamos é espiritual. Vamos ao texto em I Aos Coríntios 13. 
1 - AINDA que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse a caridade, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.
2 - E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse a caridade, nada seria.
3 - E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse a caridade, nada disso me aproveitaria. Notemos que distribuir os bens aos pobres, já é a caridade fraternal, logo o apóstolo se referia a uma outra caridade maior e melhor.
4 – A caridade é sofredora, é benigna; a caridade não é invejosa; a caridade não trata com leviandade, não se ensoberbece.
5 - Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
6 - Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
7 - Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
8 - A caridade nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;
9 - Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos;
10 - Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.
11 - Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.
12 - Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.
13 - Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e a caridade, estas três, mas a maior destas é a caridade. Caríssimos irmãos, vamos nos revestir da caridade pela revelação do Espírito Santo, pois ela não falha e permanece para sempre. 

A Espiritualidade de Culto
Como também disse anteriormente, nos evangelhos, Jesus não ensinou claramente uma forma de culto; assim, veremos agora algumas passagens do culto em I Aos Coríntios 14. 
1 - SEGUI a caridade, e procurai com zelo os dons espirituais, mas principalmente o de profetizar.
2 - Porque o que fala em língua desconhecida não fala aos homens, senão a Deus; porque ninguém o entende, e em espírito fala mistérios.
3 - Mas o que profetiza fala aos homens, para edificação, exortação e consolação.
4 - O que fala em língua desconhecida edifica-se a si mesmo, mas o que profetiza edifica a igreja.
5 - E eu quero que todos vós faleis em línguas, mas muito mais que profetizeis; porque o que profetiza é maior do que o que fala em línguas, a não ser que também interprete para que a igreja receba edificação. Até aqui, Paulo enfatizou sobre profecias e línguas, mais o fundamento verdadeiro da doutrina pode ser manifestado por 4 formas distintas relatadas no verso a seguir: 

6 - E agora, irmãos, se eu for ter convosco falando em línguas, que vos aproveitaria se não vos falasse ou por meio da revelação, ou da ciência, ou da profecia, ou da doutrina?
A revelação se obtém do Espírito Santo, a ciência se obtém pela maturidade, a profecia pelo dom e a doutrina pelo conhecimento da palavra. Estes 4 pilares edificam a Igreja e o seu culto a Deus. O primordial destes 4 pilares é a Revelação, inclusive Paulo a citou em primeiro lugar, pois como o nome já diz, é algo que está em oculto e é revelado para o exercício do culto espiritual.

O culto da Igreja precisa ser revelado pelo Espírito Santo. Como disse no início, voltemos as palavras de Jesus sobre o Espítirto Santo em
João 16:12 ao 14 - Ainda tenho muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora. Mas, quando vier aquele, o Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir. Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar. Nem tudo ficou escrito. 

14 - Porque, se eu orar em língua desconhecida, o meu espírito ora bem, mas o meu entendimento fica sem fruto.
15 - Que farei, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento.
16 - De outra maneira, se tu bendisseres com o espírito, como dirá o que ocupa o lugar de indouto, o Amém, sobre a tua ação de graças, visto que não sabe o que dizes? É preciso que todas as passagens do culto espiritual tenham a revelação e sua devida explicação bíblica para que os visitantes da Igreja, os que não são membros efetivos, possam entender e dizer o Amém devido ao poder de Deus.
 
17 - Porque realmente tu dás bem as graças, mas o outro não é edificado.
18 - Dou graças ao meu Deus, porque falo mais línguas do que vós todos.
19 - Todavia eu antes quero falar na igreja cinco palavras na minha própria inteligência, para que possa também instruir os outros, do que dez mil palavras em língua desconhecida. As manifestações realizadas no culto são somente as que tem aproveito para a edificação. As dez mil palavras em língua desconhecida representam o que não se aproveita.

26 - Que fareis, pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação.
32 - E os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas.
33 - Porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz, como em todas as igrejas dos santos.
37 - Se alguém cuida ser profeta, ou espiritual, reconheça que as coisas que vos escrevo são mandamentos do Senhor.
38 - Mas, se alguém ignora isto, que ignore.
39 - Portanto, irmãos, procurai, com zelo, profetizar, e não proibais falar línguas.

40 - Mas faça-se tudo decentemente e com ordem.
O culto não pode conter nenhuma desordem ou escandalo de nenhuma natureza. Paulo não deixa a desordem se justificar. Como acabamos de ver, o culto é algo profundo, revelado, e ocorre de forma ordenada e supervisionada pelo Espírito Santo. Paulo nos ensina antes em I Coríntios 2:14 e 15 - Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido.  

A Igreja Primitiva não usava instrumentos musicais durante o culto; pode-se revirar o Novo Testamento inteiro que não se encontra esta menção; e os instrumentos musicais sempre existiram desde as épocas mais remotas, tanto é que eles são citados no Velho Testamento. No verso 7 deste capítulo que acabamos de ver, Paulo fala da flauta e da cítara, entretanto compara que assim como quando um fala linguas, precisa que alguém interprete para que haja sentido, no caso da flauta e da cítara, precisa-se que o som de ambas seja conhecido para dinstinção e sentido do som; é uma comparação; ele não afirma que elas eram usadas no culto.

Entretanto eu concluo que a Espiritualidade de Culto só pode ser plenamente compreendida se contarmos com a revelação do Espírito Santo, pois como vimos a pouco o culto é algo profundo e inalcançável se não contarmos com esta revelação. 

A Espiritualidade de Comportamento
Se o crente for sério e determinado é possível alcançá-la somente pela letra das Sagradas Escrituras. Nos nossos dias atuais, independente de denominações religiosas, se as pessoas abandonarem as obras da carne e se deixarem conduzir pelas obras do Espírito terão atingido esta condição especial. As denominações religiosas por sua vez, não podem pregar a flexibilidade da Palavra de Deus. Todas as situações estão bem declaradas em Gálatas 5:16 ao 26.
16 - Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne.
17 - Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis.
18 - Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei. Os convertidos estão debaixo da graça de Cristo; a lei torna-se um parâmetro referencial, algo a não ser ultrapassado.

19 - Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia,
20 - Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias,
21 - Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.
22 - Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.
23 - Contra estas coisas não há lei. 24 - E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências. 25 - Se vivemos em Espírito, andemos também em Espírito. 26 - Não sejamos cobiçosos de vanglórias, irritando-nos uns aos outros, invejando-nos uns aos outros. 

Regras Para o Casamento
Veremos agora como era o casamento na Igreja Primitiva. Em I Aos Coríntios 7, Paulo responde várias dúvidas. 
3 - O marido pague à mulher a devida benevolência, e da mesma sorte a mulher ao marido.
4 - A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no o marido; e também da mesma maneira o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no a mulher.
5 - Não vos priveis um ao outro, senão por consentimento mútuo por algum tempo, para vos aplicardes ao jejum e à oração; e depois ajuntai-vos outra vez, para que Satanás não vos tente pela vossa incontinência.
Os casais não podem dormir em estado de separação de corpos; devem manter suas relações conjugais, íntimas e sexuais não se apartando, pois esta prática os expõe a tentação. O corpo da mulher pertence a seu marido e o dele pertence a ela.

8 - Digo, porém, aos solteiros e às viúvas, que lhes é bom se ficarem como eu.
9 - Mas, se não podem conter-se, casem-se. Porque é melhor casar do que abrasar-se.
Se as pessoas pudessem viver solteiras e se dedicarem somente a Deus, seria melhor, mas como nem sempre é possível ser assim, casem-se, entretanto não pequem enquanto solteiros contra sua castidade e depois de casados não pequem contra seu matrimonio nem contra Deus.

10 - Todavia, aos casados mando, não eu mas o Senhor, que a mulher não se aparte do marido.
11 - Se, porém, se apartar, que fique sem casar, ou que se reconcilie com o marido; e que o marido não deixe a mulher. Não existe abertura para um segundo casamento, salvo se a pessoa ficou viúva. O divórcio não é do agrado de Deus, e se ocorrer, não dá direito, segundo a lei de Deus, a um segundo casamento.

12 - Mas aos outros digo eu, não o Senhor: Se algum irmão tem mulher descrente, e ela consente em habitar com ele, não a deixe.
13 - E se alguma mulher tem marido descrente, e ele consente em habitar com ela, não o deixe.
14 - Porque o marido descrente é santificado pela mulher; e a mulher descrente é santificada pelo marido; de outra sorte os vossos filhos seriam imundos; mas agora são santos.
Aqui se refere ao caso de algum casal que é discrente e converte apenas um cônjuge. Neste caso a benção é estendida ao outro cônjuge por permitir a conversão do primeiro; os filhos também recebem a benção. Não é uma abertura para os crentes se casarem com discrentes. No verso 39 deste capítulo, veremos que os livres (no caso, os viúvos ou solteiros) podem casar com quem quiser, contanto que seja no Senhor.

28 - Mas, se te casares, não pecas; e, se a virgem se casar, não peca. Todavia os tais terão tribulações na carne, e eu quereria poupar-vos.
As relações íntimas e sexuais dentro do casamento não são pecado, respeitados os limites mútuos dos cônjuges.
39 - A mulher casada está ligada pela lei todo o tempo que o seu marido vive; mas, se falecer o seu marido fica livre para casar com quem quiser, contanto que seja no Senhor.
40 - Será, porém, mais bem-aventurada se ficar assim, segundo o meu parecer, e também eu cuido que tenho o Espírito de Deus. 

As Epístolas Universais
Neste item, o estudo sugerido se restringe as que foram escritas por Pedro. Notemos que Pedro afirma com todas as letras que Cristo pregou o evangelho aos espíritos em prisão. Cristo deu poderes a seus seguidores de realizarem as mesmas obras que ele realizou, ou ainda obras maiores como já vimos em JO 14:11 ao 13. Não adianta alguém ter a pretensão de negar, pois foi escrito em 2 lugares diferentes. I Pedro 3:18 ao 20.  
18 - Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; mortificado, na verdade, na carne, mas vivificado pelo Espírito;
19 - No qual também foi, e pregou aos espíritos em prisão;
20 - Os quais noutro tempo foram rebeldes, quando a longanimidade de Deus esperava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca; na qual poucas (isto é, oito) almas se salvaram pela água; 

E Em I Pedro 4:6.  6 - Porque por isto foi pregado o evangelho também aos mortos, para que, na verdade, fossem julgados segundo os homens na carne, mas vivessem segundo Deus em espírito;Se Cristo fez, nada impedia a Igreja Primitiva de fazer o mesmo naquele tempo, e também nos dias atuais; é apenas dar continuidade na obra de Cristo. 

A Igreja Primitiva recebia a promessa e aceitava que os irmãos fiéis que partiram em fidelidade com Cristo manifestassem espiritualmente no corpo da Igreja. Em Hebreus 12:23 consta sobre “os espíritos dos justos aperfeiçoados” como veremos a seguir. Notemos esta afirmação em II Pedro 1:14 e 15. 
14 - Sabendo que brevemente hei de deixar este meu tabernáculo, como também nosso Senhor Jesus Cristo já mo tem revelado.
15 - Mas também eu procurarei em toda a ocasião que depois da minha morte tenhais lembrança destas coisas. Sobre este assunto, Paulo antes já testificara em II Coríntios 4:14 -  Sabendo que o que ressuscitou o Senhor Jesus nos ressuscitará também por Jesus, e nos apresentará convosco. 

Notemos agora como estão classificados os habitantes do reino de Deus em Aos Hebreus 12: 22 ao 24. 22 - Mas chegastes ao monte Sião, e à cidade do Deus vivo, à Jerusalém celestial, e aos muitos milhares de anjos; 23 - À universal assembléia e igreja dos primogênitos, que estão inscritos nos céus, e a Deus, o juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados; estes destacados em vermelho, nada mais são do que os filhos de Deus que foram resgatados aqui do mundo pelo sangue de nosso Senhor Jesus e já habitavam desde a aquela época no reino espiritual. 

A Última Revelação
Aqui trata-se do Apocalipse e temos algumas instruções e símbolos proféticos importantes: 

Apocalipse 2:4 - Tenho, porém, contra ti que deixaste a tua primeira caridade.O Bispo da Igreja de Éfeso tinha caído neste equívoco e Cristo o adverte. Até hoje, esta é uma fraqueza recorrente, pois as igrejas que perdem a profundidade espiritual acham que a primeira caridade, ou seja, o amor maior é desnecessário.  

Em Apocalipse 12 temos a representação profética da Igreja Primitiva simbolizada por uma mulher e a oposição a Igreja está representada por um grande dragão: 
1 - E VIU-SE um grande sinal no céu: uma mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dos seus pés, e uma coroa de doze estrelas sobre a sua cabeça. Esta mulher vestida sol representa a doutrina espiritual com a sua justiça resplandecente que afugenta a escuridão das trevas (lua). Seu poder foi afirmado pelos 12 apóstolos de Cristo (coroa).

2 - E estava grávida, e com dores de parto, e gritava com ânsias de dar à luz.
3 - E viu-se outro sinal no céu; e eis que era um grande dragão vermelho, que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças sete diademas.
4 - E a sua cauda levou após si a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra; e o dragão parou diante da mulher que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho. O grande dragão vermelho é próprio satanás que intuiu em Herodes a matança dos inocentes quando Cristo nasceu. Ele queria abortar o plano de Deus que através de seu Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, resgatou a humanidade do pecado.

5 - E deu à luz um filho homem que há de reger todas as nações com vara de ferro; e o seu filho foi arrebatado para Deus e para o seu trono.
6 - E a mulher fugiu para o deserto, onde já tinha lugar preparado por Deus, para que ali fosse alimentada durante mil duzentos e sessenta dias.
Este espaço de tempo foi suficiente para Cristo implantar a doutrina na terra sendo posteriormente arrebatado para Deus.

A Igreja Primitiva sobreviveu no primeiro século de nossa era comandada pelos apóstolos. Nos séculos II e III ainda se mantinha fiel, mas começou a sofrer influencias humanas como vemos a seguir. 

O Domínio de Roma
Desde aproximadamente 70 A.C., O Império Romano havia estendido seus domínios sobre o Reino da Judéia e esse poder político de Roma era muito forte e, influenciada pelo poder político a Igreja Primitiva teve sua sede transferida de Jerusalém para Roma. Até então a Igreja Primitiva era única e não era necessário ter uma denominação definida; ela era apenas A Doutrina Espiritual de Jesus Cristo. A partir da transferência da sede para Roma, surgiu um movimento chamado romanismo. A doutrina passou a sofrer interferências humanas em vez da influencia espiritual e se consolidou como A Igreja Romana, inclusive assumindo um viés ditatorial impedindo os cristãos de terem um acesso livre ao reino espiritual e de escolherem livremente sua forma de culto.   

Este movimento dominou a cena religiosa de aproximadamente 14 séculos. As principais mudanças impostas foram: a transferência da santificação do sábado para o domingo; alteração da ordem dos 10 mandamentos; os espíritos dos justos aperfeiçoados foram transformados em santos de adoração (idolatria); a espiritualidade de culto se perdeu dentre outras. Foram mantidos o batismo de crianças, a crença na purificação através do fogo dentre outros. Houve a união da Igreja com o poder político sendo que esta união fora prevista em 13 de Apocalipse (as 2 bestas que se uniram). Este período foi de trevas profundamente escuras e sufocantes. Nada se podia fazer além do estabelecido por Roma. Muitos fiéis foram perseguidos e mortos. Uma dor insuportável abateu a alma da Igreja até a morte. 

O Protestantismo
Após os terríveis 14 séculos sombrios de escuridão, este movimento chamado romanismo foi destronado de seu domínio absoluto por outro movimento chamado protestantismo que como o nome sugere, foi um protesto, ou seja, uma ruptura com o romanismo abrindo possibilidades das pessoas terem comunhão com Deus através do livre acesso as Escrituras Sagradas. Isto fez surgir várias igrejas e no tempo atual, é preciso adotar as denominações religiosas para distingui-las. Assim, surgiram várias religiões, ou seja, a religião que era uma coisa de Deus, passou a ser uma coisa dos homens.

A Religião Verdadeira é a própria Bíblia Sagrada; em vez de nós nos sentirmos dentro da Religião Verdadeira, é melhor que sintamos o contrário, ou seja, a Religião Verdadeira deve estar dentro de nós. Lembrem-se: Todas as igrejas pretendem, cada uma delas por sua vez, ser a Igreja Primitiva e Verdadeira; para não corrermos o risco de errar, é preciso identificar pela Bíblia Sagrada como acabamos de ver. 
 

Os Ciclos de Existência
Não sabemos se a Igreja Primitiva no seu formato original e bíblico sobreviveu aos séculos de escuridão impostos pelo romanismo. Talvez a Página Internacional nos diga algo a esse respeito, mas digo que particularmente, eu, Valdenir, conheço aqui no Brasil uma Igreja que conserva as originalidades tal como era a Igreja Primitiva em seu aspecto religioso. 

Se a Igreja Primitiva não se acabou e permanece em algum outro canto da terra, estará, portanto mantendo o ciclo inicial de seu estabelecimento. Se porventura acabou e ressurgiu no Brasil, estará em seu segundo ciclo de existência. Poderá acabar este segundo ciclo atual e recomeçar um terceiro ciclo existencial em outra época e lugar? Deus o sabe.  

A Vocação dos Crentes
Os propósitos tanto da Igreja Primitiva, quanto dos crentes da Igreja que eu afirmo conhecer no tempo atual estão bem definidos pelo apóstolo Paulo em I Aos Coríntios 1:18 ao 31. 
18 - Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus.
19 - Porque está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios, E aniquilarei a inteligência dos inteligentes.
20 - Onde está o sábio? Onde está o escriba? Onde está o inquiridor deste século? Porventura não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo?
21 - Visto como na sabedoria de Deus o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação.

22 - Porque os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria;
23 - Mas nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos.
24 - Mas para os que são chamados, tanto judeus como gregos, lhes pregamos a Cristo, poder de Deus, e sabedoria de Deus.
25 - Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens.
26 - Porque, vede irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados.

27 - Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes;
28 - E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são;
29 - Para que nenhuma carne se glorie perante ele.
30 - Mas vós sois dele, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção;
31 - Para que, como está escrito: Aquele que se gloria glorie-se no Senhor. 

A Oração Final
Para nos mantermos como seguidores desta Igreja, tal como era a Igreja Primitiva, apenas e tão somente nos mantendo na verdade, eu escolhi a Oração de Paulo pelos efésios em Aos Efésios 3:14 ao 21.
14 - Por causa disto me ponho de joelhos perante o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo,
15 - Do qual toda a família nos céus e na terra toma o nome,
16 - Para que, segundo as riquezas da sua glória, vos conceda que sejais fortalecidos com poder pelo seu Espírito no homem interior;
17 - Para que Cristo habite pela fé nos vossos corações; a fim de, estando arraigados e fundados em amor,
18 - Poderdes perfeitamente compreender, com todos os santos, qual seja a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade,
19 - E conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus.
20 - Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera,
21 - A esse, glória na Igreja, por Jesus Cristo, em todas as gerações, para todo o sempre. Amém. -

Amados, aqui cheguei ao fim dos assuntos que pretendia abordar. Naturalmente muitos outros aspectos e temas bíblicos são importantes para esta análise e para o resgate histórico da Igreja Primitiva em sua forma original de ser. Ninguém se desvie após outros ensinos, pois a verdade da doutrina espiritual é uma loucura para o mundo. Se ao final desta leitura, voce se sentir mais fortalecido, terei atingido meu objetivo. Glória a Deus por isto.

Mas como eu lhes disse que conheço a existência desta Igreja no tempo atual, tal como era a Igreja Primitiva, fica a pergunta:

E voce, conhece ? ? ?    

Um grande abraço a todos e fiquem na Paz de Deus.

Valdenir Alves Ferreira - Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email

Atualizado em ( 01-Apr-2010 )
 
< Anterior   Próximo >